Arquivos Mensais: Outubro 2018

A morte é o regresso ao NADA

Vem aí um tempo (Todos Os Santos e Finados) de reflexão. Não diria de reflexão sobre a morte, mas sobre a vida, sobre a precariedade da nossa vida e sobre a vida que foi dos que já partiram, cujas memórias … Continuar a ler

Publicado em Reflexões Norbertinas | Publicar um comentário

Por Amor à Língua – Contra a Linguagem que por aí Circula

Ninguém consegue ser perfeito na escrita, e quanto mais extenso um texto – um livro, por exemplo –, maiores são as probabilidades de erro. Pode-se escrever bem uma frase; não se consegue escrever um livro sem dar trabalho, muito trabalho … Continuar a ler

Publicado em Os Meus Livros | Etiquetas , | Publicar um comentário

Os meus olhos são uns olhos. // E é com esses olhos uns // que eu vejo no mundo escolhos // onde outros, com outros olhos, // não vêem escolhos nenhuns. (António Gedeão)

O Pato-coelho de Wittgenstein e a Ilusão de Müller-Leyr são, para mim, materializações da maneira como cada um de nós interpreta o real: quem quer ver um coelho vê um coelho; quem quer ver um pato vê um pato. Alguns … Continuar a ler

Publicado em Reflexões Norbertinas | Etiquetas , | Publicar um comentário

ELEITOS EM HIBERNAÇÃO!

Me Parece que a única maneira de não perder tempo brigando por política daqui a quatro anos é passar os próximos quatro anos perdendo tempo com política.  Foi há um ano que se realizaram as últimas eleições autárquicas. Passou um … Continuar a ler

Publicado em Reflexões Norbertinas | Publicar um comentário